NBO Entrevista - Sonico BWF


Fala pessoal ligado no NBO trago a vocês a mais nova entrevista feita por nós, desta vez com o grande Sonico, Wrestler da Brazilian Wrestling Federation (BWF) confiram!


NBO: Qual seu primeiro contato com o pro-wrestling?
SONICO: Video Games na minha infância. Pessoalmente, em alguns shows que fui entre 1999 e 2002, e depois na prática em 2004 na academia da BWF.



NBO: Qual é seu ídolo no mundo do wrestling?
SONICO: The Rock. Não só no wrestling mas na vida. É um cara exemplar e que com certeza foi um divisor de águas no esporte com o trabalho que realizou na WWF / WWE. Puro amor e dedicação ao esporte e ao entretenimento.



NBO: Porque o Brasil tem certo "preconceito" com o pro-wrestling?
SONICO: O Brasil tem preconceito com o produto nacional, independente do que seja. Mas, pior que isso, é a cultura nacional de “não apoiar algo que não está na mídia”. Se você cria um ícone, um ídolo em algo, como foi feito no UFC, o preconceito acaba. Fora a conduta e o trabalho mal feito de diversas empresas, isso se referindo à empresários e lutadores, que ao longo dos anos “ajudou a atrapalhar” o andamento da modalidade e nos afundou.



NBO: Qual foi o principal fato para o pro-wrestling perder muito do sucesso que tinha antigamente aqui no Brasil: o público que se cansou do esporte, as empresas de pro-wrestling que não evoluíram seu produto com o tempo ou algum motivo diferente?

SONICO: Basicamente tudo o que disse na resposta anterior, que causou o total desinteresse de público, investidores e possíveis fãs.



NBO: Qual wrestler influência no seu estilo nos ringues?

SONICO: Rey Mysterio. Me baseio em tudo o que ele fazia no começo da carreira com uma pequena parcela do que ele fez nos últimos anos de WWE. Ele foi um marco na história da luta livre Existem outros, como Juventud Guerrera, Xtreme Tiger, Aerostar. Mas o principal é o Rey.



NBO: O que falta para empresas nacionais como a BWF, GDR e FILL ter algum destaque maior para o público brasileiro?

SONICO: Investimento e mídia. Só. Tendo dinheiro e espaço pra trabalhar, o resto vem.



NBO: Como e onde são realizados seus treinos?

SONICO: Atualmente estou um pouco afastado de atividades relacionadas à luta livre. Participo de poucos shows à convite do Bob Jr e porque amo o que faço. Mas minha rotina de treino sempre era na academia da BWF mesmo, somando musculação e treino especifico de lutas, de 2 a 3 vezes na semana. Fora que no começo da carreira fiz pouco mais de um ano de ginástica olimpica



NBO: Você já recebeu algum tipo de preconceito pelo fato de lutar pro-wrestling, seja com seus amigos, familiar ou com outra pessoa?

SONICO: Todos e mais alguns. Tem quem não aceite e zoe até hoje. Mas o carinho e reconhecimento dos fãs somado ao prazer e satisfação de fazer o que amo, supera.



NBO: Na sua visão, como está a situação da luta livre em território brasileiro atualmente e como será anos depois? Acha que retornará (ou chegará perto) da popularidade que teve no passado, ou se manterá nessa mesmice?

SONICO: Tudo depende de investimento, como já disse. Creio que, se realmente algum brasileiro engrenar na WWE, as coisas possam mudar radicalmente. Mas, por hora, a “mesmice” que você menciona, é o que temos a oferecer. Fazemos exatamente o que toda Indy norte americana e ao redor do mundo fazem. Não ter um canal de televisão é conseqüência de N fatores, mas caracterizar isso como mesmice me soa até como ofensa a mim e a meus colegas de trabalho.



NBO: Você sonha em participar de uma grande empresa mundial?

SONICO: Você sonha em participar de uma grande empresa mundial? Já tive essa ambição. Hoje em dia minha vida pessoal me prende mais. Meus planos e minhas atuais realizações pessoais não me permitem me aventurar, a não ser que seja um contrato muito bom que possa me render muitos frutos. Infelizmente esse mundo da luta livre não é seguro e estável. Eu gostaria muito que fosse. Mas não é. Então isso nos segura um pouco.



NBO: Você acompanha os eventos internacionais?
SONICO: Muito pouco. Já fui do tipo de fã que assistia tudo ao vivo por stream, participava de fóruns, blogs e não perdia nada. Hoje em dia assisto algumas lutas quando consigo.
Vida adulta não é tão legal quanto parece, hehe

NBO: Você tem uma luta memorável sua?

SONICO: Diversas. Dentre elas, todas contra o Xandão, mas em especial a realizada na Virada Cultural 2011 onde fui Rei do Ringue. As duas contra o Zumbi, também na Virada Cultural, nos anos 2012 e 2013. Contra o Tim Anderson em 2009 valendo minha máscara. Contra Beto Anjo Loiro e outro lutador no evento Corazon de Campeon de 2011. E, obviamente, o ápice da minha carreira, contra Super Crazy em 2013.

NBO: O que você tem a dizer para quem está começando agora?

SONICO: Siga seus sonhos. Enfrente tudo e todos com a cabeça erguida, e mantenha seu foco sem pisar em ninguém. Não é um mundo fácil, não é simples como parece, e você vai se machucar muito, mas, no final do dia, a sensação de realização e ficar sem conseguir dormir pensando nos próximos passos, é ótima!

NBO Bom, creio que é tudo... Gostaria de acrescentar algo? O que você tem a dizer a nossos leitores?

SONICO Sempre agradeci e sempre agradecerei muito quem nos da espaço e deposita confiança em nosso trabalho. Nossa realização com belos combates é algo inexplicável, mas se não fosse pelo apoio de vocês fãs, nada disso seria possível ou faria sentido.
Muito obrigado, sempre!


A equipe NBO agradece por essa entrevista, e deseja sucesso em sua carreira.