NBO Entrevista - El Gringo

Olá galera! Renan Monteiro por aqui com mais um NBO Entrevista!

E hoje estou aqui para apresentar a entrevista que eu fiz com o Lutador da Gigantes do Ringue (GDR), o Ícone, El Gringo!



Marcos Stelzer (EL Gringo) apresentou bastante conteúdo em seu depoimentos e citou também ídolos e lutas históricas. Então confira aí na sequência a entrevista que foi muito boa!

Equipe NBO: Como começou sua carreira como lutador?

El Gringo: Acho que ser lutador de luta livre era uma coisa inevitável, pois sempre curti a luta livre, inclusive assistindo ao vivo as grande feras no seu auge. Como Nino Mercury, Michel Serdan, Aquiles, Belo, Corisco, Caipira Don Afonso, Tony Lima, Caboclo Selvagem, Chico Yoshikawa San , Demônio Cubano etc... E pela TV a WWF na época.

Sempre pratiquei algum tipo de luta, tendo disputado alguns Campeonatos como Sul-americano de Judô, Paulista de Full Contact e regionais de Kung Fu. Os quais parei por falta de incentivo e patrocínio.

Alguns anos depois quando conheci minha esposa, fui descobrir que ela era vizinha do Mestre Nino Mercury, conhecendo através dele o Ninja, Ricky Roger, Drago e outros.
Assim que recebi o convite deles para treinar não hesitei e estou até hoje lutando.





Equipe NBO: Você  assiste o Wrestling americano, se assiste qual são os lutadores que lhe agradam ?

El Gringo: Já assisti muito mais, hoje vejo bem pouco pois está muito chato, quando eu comecei assistir (até antes da "Attitude Era") era muito mais legal, tinha muito mais "figuras" como chamamos. Uma dupla que eu adorava e pouca gente lembra eram os Abelhas Assassinas ou Killer Bees, bons tempos!

Depois apareceu o Legion Of Doom daí eu descobri meu lado "Base" kkk

Aqui vai uma amostra do que eu considero muito bom:



Arrumar uma revista americana nesta época era bem difícil e bem cara.

Hoje me agrada muito mais o Lucha Undergournd, muito mais lutas, do jeito que nós latinos gostamos.

Equipe NBO: Você acha que o Wrestling Brasileiro tem chances de ser mais conhecido?

El Gringo: Sim tem boas chances, o que falta é um empresário sério dar o espaço ou apoio financeiro, pois temos bons lutadores, que não devem nada para estrangeiros.

É só nos dar a oportunidade que nós mostraremos como se faz uma luta livre nos nossos parâmetros e gostos sem essa síndrome de vira-latas de que os americanos são melhores, eles são bons para o gosto deles, é muito blá blá blá....



Equipe NBO: Você acha que a falta de união das equipes brasileiras dificulta o crescimento do esporte no País?

El Gringo: Não sei se o problema é a falta de união, pois se cada equipe se preocupasse mais em realizar bem o seu próprio trabalho ao invés de denegrir e criticar o dos outros seria muito melhor.

O Grande problema mesmo que temos é a falta de investimento.

Equipe NBO: Já realizou alguma luta internacional?

El Gringo:  Sim, tive o enorme prazer e a honra de lutar ao lado o meu Grande Irmão Ripper da Argentina quando formamos o Triple Canon, um trio que se formou de uma forma até displicente e natural e que foi uma das lutas que eu mais gostei de fazer.
Fora isto, já lutei em eventos na qual participaram equipes como CMLL, Triple A, XNL, War, ROH, AJPW, mas sem lutar com eles diretamente.



Equipe NBO: Qual o seu maior sonho como lutador?

El Gringo:  Participar de um programa regular de Luta Livre na TV aberta.

Equipe NBO: Tem algum ídolo?

El Gringo: Sim vários, Os mestres Nino Mercury,  Michel Serdan e Aquiles estão entre os maiores.

Equipe NBO: Tem ressentimento com alguma Equipe ou lutador?

El Gringo:  Ressentimento não, já lutei em várias equipes como Gladiadores do Ringue (Nino Mercury), GDR (Michel Serdan), Abraluli (Trovão), Super Catch (Bob Léo), Reis do Ringue (Homem Montanha) e BWF (Bob Jr).

Em algumas me diverti e aprendi muito fazendo sinceras amizades, em outra me decepcionei principalmente com as pessoas envolvidas.

Mas como diria o mestre Raul Seixas:
 "Enquanto eu provo sempre o vinagre e o vinho. Eu quero é ter tentação no caminho. Pois o homem é o exercício que faz"

Vou vivendo e aprendendo.....

Equipe NBO: Como é estar com a Equipe da GDR?

El Gringo: Um sonho realizado, pois além do prestígio e a tradição que o Gigantes do Ringue trás, com os grandes nomes que já passaram e que ainda estão por aqui, eu tenho uma grande amostra de profissionalismo tanto do Michel Serdan como da Dona Aida, que me dão a certeza que a luta livre brasileira ainda tem futuro.



Equipe NBO: Deixo o espaço para você agradecer quem você quiser e fazer algum desabafo ou anúncio importante;

El Gringo: Quero agradecer a todos assistem as nossas luta e principalmente aos que comparecem ao vivo nos shows, pois como eu já tive a oportunidade de falar com vários, ao vivo a emoção e a diversão é que são de verdade.

Infelizmente como muitas vezes faltam recurso para uma boa gravação ou a mesma é feita improvisada com um celular ou coisa do tipo e uma boa luta fica muito morna ou acaba com a mesma.

Posso enumerar quatro grandes lutas que tive o prazer imenso de fazer e sempre estão na minha memória, em ordem cronológica:  Ninja x El Gringo - Litoral Norte, Pirata Alma Negra x El Gringo - Hardcore Match em Poá, Triple Canon (Ripper, El Gringo e Toko Infernal) Anime Friends - SP e Bino Rock x El Gringo - SESC Pompéia SP (minha última luta antes desta entrevista) e infelizmente nenhuma foi registrada como se deveria.

Mas continuamos lutando sempre, e não vou ser hipócrita dizendo que é só para a diversão de vocês pois me divirto muito com a luta em si e também com o público.

Obrigado pela oportunidade de me expressar e continuem dando força para a Luta Livre Brasileira sempre.

Marcos Stelzer / El Gringo

Sangue no olho, Rock na veia e Luta Livre no Coração!  Valorizem o que é nosso!

A Equipe NBO Agradece a Entrevista concedida pelo El Gringo/Marcos Stelzer e desejamos o melhor para seu desempenho em 2015 e também para sua carreira!