NBO Entrevista - João Marcos CWL

Bom pessoal, nessa semana fizemos uma entrevista bem legal com o João Marcos, wrestler da Companhia de Wrestling do Litoral, companhia brasileira e wrestling, mais especificamente na baixada santista, em São Paulo.

É de costume que eu (Vitor) ou outro editor do blog faça a entrevista, a maioria da equipe participou (Destaque para o Marcus, conhecido na pagina como #Dooley, que mandou quase todas as perguntas).


Espero que gostem, e aproveitem, vamos tornar o Wrestling brasileiro numa marca de poder.




Equipe NBO: Quando e como foi o seu primeiro contato com o universo da Luta Livre?

João Marcos: Foi em 2002. Não me recordo como.




Equipe NBO: Como e onde você começou a treinar?


João Marcos: Cheguei na sede da Ases do Ringue, após ser convidado a assistir um treino de Jiu jitsu, por um colega de escola. Na época eu tinha uns dez anos de idade. Ao me preparar para ir embora, notei que outra turma se aquecia e decidi ficar um pouco mais. Adorei aqueles golpes aéreos, achei diferentes e fui conversar com o professor, o ex- atleta, Sarabando (que se destacou nos tempos dourados da LLN). Ele que me recebeu em sua turma mesmo não tendo idade suficiente e me treinou por nove anos.




Equipe NBO: Quais são seus ídolos no esporte (nacionais e internacionais)?


João Marcos: Nessa minha “carreira” pude conhecer de perto diversos lutadores. Por isso, acredito não ter ídolos no Brasil. De fora: Kota Ibushi, Sami Zayn, Hideo Itami, Adrian Neville, Ricochet, etc.




Equipe NBO: Como surgiu a ideia de montar a CWL Pro Wrestling?


João Marcos: Em 2013, eu já possuía as três carteiras e o diploma de lutador profissional. A equipe na qual comecei (a falida Ases do Ringue) ficou sob meus comandos durante dois anos. Em Agosto, precisei que meu ex- treinador emprestasse seu ringue (como era de costume) e para a minha surpresa, fui cobrado. Ali senti que seria a hora de me afastar. Na época, promovíamos o Telecatch. Modernizei técnicas e criei o nome: Companhia de Wrestling do Litoral. A partir daí, cortei contato com todos que eram contra a minha decisão.




Equipe NBO: Como você enxerga a cena da Luta Livre nacional, nos dias atuais?


João Marcos: Desvalorizada, porem melhorando. Existe um alto numero de apreciadores (principalmente na internet) muitos apoiam, mas em peso também exigem eventos em níveis que ainda não estamos em condições de realizar. Por aí temos espalhados grandes wrestlers. É fácil encontrar combates com alta qualidade. Nos falta apoio da mídia, dos fãs, pois para que patrocinadores invistam, precisamos mostrar que também terão retorno.




Equipe NBO: Há rivalidade entre algumas equipes brasileiras?


João Marcos: Sim. São quase vinte equipes, poucas se destacam. E ao invés da união, a maioria opta em fazer um trabalho individual. Não quero dar audiência, então sem nomes!




Equipe NBO: Você acredita que ainda há espaço para a Luta Livre nacional na grade de alguma emissora de televisão aberta?


João Marcos: Sim. As emissoras não tem mais o que transmitir! Deveria haver um acordo entre os líderes de equipes, para que lutadores de “todas” participassem. A ideia é fazer uma vaquinha geral (em contrato) assim não pesaria pra ninguém. Já pensou que maravilha de efetivo? Combates de todos os tipos, sem cair na rotina? Isso somaria bastante.




Equipe NBO:  Quais são as principais dificuldades encontradas para manter uma equipe de Luta Livre, em atividade, no Brasil?


João Marcos: Custa caro mandar fazer e manter um ringue. Equipamentos de som, iluminação, etc, são cedidos por políticos mas nem sempre. Muitos gostam da modalidade, outros criticam mas poucos sabem das dificuldades que as federações tem! A falta de verba complica demais e para “piorar” tem gente que ainda vê o que fazemos, como palhaçada. Precisamos de boa divulgação para mudar isso.




Equipe NBO: Como você lida com expressões do tipo “luta de mentira” e “marmelada”?

João Marcos: Antes, era motivo pra eu brigar. Hoje me cansei (risos). Simplesmente convido a pessoa a treinar e ela sai da nossa academia com um pensamento diferente. Lá explico passo a passo (teoria e prática) não tem como dizer que é falso. E aqueles que se recusam a ir, as xingo mentalmente.


João em um evento com a FILL em novembro de 2013




Equipe NBO: Em relação ao público, como você avalia o apoio dos fãs brasileiros?

De zero a dez? 

João Marcos: Cinco.




Equipe NBO: O uso da internet, como meio de divulgação, ajuda a atrair mais público aos eventos e popularizar o esporte no país?


João Marcos: Admiradores mesmo a distância compartilham nossos links, colaborando de alguma forma. Isso é muito bom. Mas para atrair público, nada melhor do que um “ao vivo”.




Equipe NBO: A CWL mantém parceria com outras equipes?


João Marcos: Sim. FILL e Reis do Ringue. Temos afinidade com outras mas ainda não batemos o martelo.




Equipe NBO: Qual a média de shows da CWL?

João Marcos: Recentemente, passamos por um momento ruim. Tivemos demissões e estamos aumentando o nosso quadro de wrestlers aos poucos. Nisso vamos participando nos eventos das demais até que tenhamos um efetivo regular, novamente. Varia do bolso de cada um. Acho que dois eventos por ano é o que estamos tendo, por enquanto.




Equipe NBO: Conte-nos como será o Juntos Somos Fortes 2, e a participação da CWL no evento.

João Marcos: Se você perdeu o primeiro, está perdoado. Agora não deixe de ir neste, será um torneio inesquecível! Acompanhem as páginas das equipes participantes (FILL, SWU, CWL e EWF) que até as datas 17 e 18 de Janeiro, novas informações serão publicadas.




Equipe NBO: Como funciona o processo seletivo para quem deseja se tornar um atleta da CWL?


João Marcos: Tendo idade acima de 14 anos e estando com a saúde em dia, homens e mulheres podem participar! Basta comparecer em nossa sede: Alemanha, 340 – Catiapoã – São Vicente- SP.




Equipe NBO: Poderia deixar algum conselho ou dica para os jovens que pretendem ingressar na Luta Livre?


João Marcos: Mesmo nos momentos de desanimo, amem o PW. Dediquem-se! Pois um dia, chegaremos lá!



É isso pessoal, essa foi a entrevista de hoje com o João Marcos da CWL, só pra relembrar, eles estarão no Juntos Somos Fortes 2, no ano que vem, para mais detalhes fiquem ligados na pagina no Facebook e no Blog.

Quero agradecer novamente o João pela oportunidade de divulgarmos tanto o nosso quanto o trabalho da CWL, e é isso, espero que tenham gostado e deixem sugestões para a próxima entrevista.